Diário de Bordo #2

junho 1, 2010 em Diário do Roger

Ser zicado é para os fracos. Eu sou muito zicado. Como se não bastasse tudo o que já tinha acontecido, meu novo voo de 13:32h atrasou devido ao mal tempo nos aeroportos do Rio de Janeiro e Campinas. Por fim, não viajei para a cidade maravilhosa (com Cristo em reforma, frio e chuva), mas tive tempo de desligar dois televisores de LCD que informavam os horários dos voos. Foi sem querer, mas deu pra perceber como um famoso se sente: todos os olhares estavam voltados para mim. Podia ao menos ter ido com uma camiseta do blog, pra fazer propaganda. Rá!

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

Diário de Bordo

junho 1, 2010 em Diário do Roger

Sim, eu sou zicado! Hoje estou indo para o Rio de Janeiro (na verdade, já deveria estar lá) e, como toda vez que eu vou pra lá, algo aconteceu. Dessa vez o meu voo foi, simplesmente, cancelado. Sim, amiguinhos. Após ficar 40 minutos dentro da aeronave, segurando aquela baita vontade de cagar de tanta ansiedade, o comandante nos informa que o voo seria cancelado devido ao mal tempo no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

Mas tudo bem. Imprevistos acontecem. Meu voo, que estava marcado para 8:17h e agora vai sair as 13:32h. Vai tomar no bóga! O pior é que o voo das 9:45h, com destino ao Rio de Janeiro (sim o mesmo destino que o meu) saiu normalmente. Maldito Murphy!

Depois de todos os trâmites para trocar a passagem (pois trocamos a “ACUL” por “TAM-TAM-TAM-TAM”) minha mochila foi identificada com bombas ou armamento nuclear pois o Raio-X não liberava ela de jeito nenhum. Ou eu tenho cara de terrorista? Humpf!

Agora uma “véia” sentou do meu lado e quer bater papo e eu não sou multi-task, então este post termina por aqui. Até mais amiguinhos. Espero chegar no RJ ainda hoje. 🙂

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

Coé?

abril 16, 2010 em Diário da Patty

Fui convidada a participar de um processo seletivo de uma empresa bacana e hoje compareci lá. A entrevista foi super tranqüila mas… foi aplicado um bendito teste. Não era difícil. Com o auxílio de uma calculadora básica dava para resolver tudo rapidinho e sem estresse.

Me foi fornecido uma calculadora (simples, bonitinha mas tããão ordinária) que não operava o raio da divisão. Me fez perder um baita tempo, além do fato de eu ter que fazer as continhas literalmente na unha, como nos áureos tempos da escola (saudosa tabuada, fórmula de báskara…). A coisa foi tão surreal que não pude deixar de pensar:  coé? a zica calculator faz parte do teste? Só pode ser!

Operação matemática na unha e sem tempo nem Jack Bauer encara

Depois desse perrengue, ainda teve a parte Fuvest da coisa. Ah se tivesse um teste desse pra ser presidente deste país. Aí depois disso, o sapato escalpelou meu pé, a roda do ônibus na volta quase se desprendeu da suspensão… e muitos outros infortúnios mais. Enfim, dando certo ou não esse processo, só sei de duas coisas: essa vai pra minha biografia e melhor não sair de casa mais por hoje.

E você, brasileiro(a) em busca de recolocação profissional,  que teve que se submeter para conseguir um emprego? Teste do sofá? Banheira do Gugu? Soletrando? Comer olhos de cabra? Se vestir de esponja e se esfregar na parede?

Bjs.

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print