30 anos depois…

março 17, 2011 em Piadas Infames

Oi pessoal! Meu aniversário está chegando e em breve passarei de 1/4 de século de vida. Como se já não bastasse as neuras que permeiam a mente feminina com relação a idade e, como já era de se esperar, eu estar novamente com o meu emocional fragilizado devido a TPM, recebi um e-mail hoje que me fez temer reencontrar algum ex-colega de escola e me sentir mais  fim de feira do que já me sinto.

Li o e-mail e já me imaginei protagonizando alguma situação semelhante. Vejam se não é de ficar “emputecida” com um negócio desses!

O que é bonito é para se mostrar! Ou não...

30 ANOS DEPOIS

Já aconteceu de você, ao olhar pessoas da sua idade, pensar: não posso estar assim tão velho(a)? Veja o que conta uma amiga:
– Estava sentada na sala de espera para a minha primeira consulta com um novo dentista, quando observei que o seu diploma estava dependurado na parede. Estava escrito o seu nome e, de repente, recordei de um moreno alto, que tinha esse mesmo nome. Era da minha classe do colegial, uns 30 anos atrás, e eu me perguntava: poderia ser o mesmo rapaz por quem eu tinha me apaixonado na época?
Quando entrei na sala de atendimento, imediatamente afastei esse pensamento do meu espírito. Esse homem grisalho, quase calvo, gordo, com um rosto marcado, profundamente enrugado, era demasiadamente velho pra ter sido o meu amor secreto. Depois que ele examinou meus dentes, perguntei-lhe se ele estudou no Colégio Sacré Coeur.
– Sim – respondeu-me.
– Quando se formou? – perguntei.
– 1965. Por que esta pergunta?
– É que… bem… você era da minha classe, eu exclamei.
E então esse velho horrível, cretino, careca, barrigudo, flácido, filho de uma puta e lazarento, me perguntou:
– A senhora era professora de quê?

– FILO DA PUUUURRRGAAAAA!!!!

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

O velho e o punk

abril 10, 2010 em Na Geral, Piadas Infames

O velho senta-se num banco no ônibus, de frente para um punk de cabelo comprido, com mechas verde, azul, rosa e vermelha. O velho fica olhando para o punk e o punk olhando para o velho. O punk vai ficando invocado,até que pergunta ao velho:
– Qual é vovô, nunca fez nada de diferente na porra da vida não?
O velho responde:
– Sim, eu fiz. Quando era jovem fiz sexo com uma arara, e estou aqui pensando:
– Será que esse filho da puta é meu filho?

Da Milena Imanishi, de Indaiatubaina Indaiatuba/SP.

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print