Eu Odeio… #2 – Cartões de Crédito

novembro 4, 2013 em Diário do Roger, Na Geral

Ah, essa peça plástica com certeza feita por chineses que todos odeiam e ao mesmo tempo amam: o cartão de crédito. O cartão de crédito é tipo o Galvão Bueno, saca? Às vezes você até gosta, mas na maior parte do tempo você odeia. Quem é que gosta de receber a fatura do cartão? Só gosto quando vem em branco, o que já aconteceu… nenhuma vez! E quando você não consegue pagar a fatura e aquela bagaça vai acumulando e quando a fatura chega ela te assusta mais que a cara da sua sogra virada do avesso? É tenso!

Mas o pior de tudo, na minha opinião, é quando a operadora infernal resolve cobrar a famigerável anuidade. Não basta você estar fodido para pagar a fatura do mês, com aquela serie de coisas que foram compradas compulsivamente, pagar multa, IOF, etc, e a operadora do cartão quer te cobrar uma anuidade! Isso não é justo! E aí você liga para o banco pra poder “negociar” este valor.

Simpático atendente se expressando após colocar o telefone no

Simpático atendente se expressando após colocar o telefone no “mute”.

A conversa, geralmente, é assim:

– Banco do Logotipo Azul e Amarelo, Junilda, boa noite.
– Oi, boa noite, Junilda. Aqui quem está falando é o Rogério, tudo bem?
Sem ao menos te responder ela continua:
– Qual o número do CPF do titular, senhor?
Mesmo eu já tendo digitado esse número, respondo numa boa:
-123.456.789-00
– Vamos confirmar mais alguns dados?
“Não”, penso eu, mas não digo nada
– Por favor, fale o nome de um estabelecimento comercial que o senhor tenha efetuado compras com este cartão nos últimos 30 dias.
– Lojas Xing Ling.
– Não consta compra, senhor.
– Padaria do Zé Colmeia.
– Não consta, senhor.
– Desculpe não lembro de nenhuma loja. Na verdade, acho que não usei este cartão este mês.
Silêncio no telefone.
– Ok, senhor. Parece que não há compras neste cartão este mês. Como posso ajudá-lo?
– Gostaria de negociar o valor de anuidade pois não estou satisfeito. Podemos trabalhar com a possibilidade de isenção desta tarifa?
– Um minuto senhor.
3 minutos depois:
– Senhor, gostaria de informa-lo que o seu cartão possui muitas vantagens como possibilidade de parcelamento de fatura, compras com vencimento de até 40 dias e o senhor ainda pode trocar os pontos do cartão por prêmios. Vantagens que o senhor só possui conosco pois o senhor é um cliente especial.

Caraca! Mas tudo isso qualquer merda de cartão oferece. E eu sou especial? Tá de “brincation with me”, nega? Não precisa mentir, poxa. Podia falar que o seu coordenador tá na cola e que não vai dar porra nenhum de desconto ou não conseguirá bater a meta do mês. Eu iria entender. Igual o cara que chegou no semáforo pra mim e disse “amigo, eu queria pedir um trocado, mas não é pra comprar comida não, é pra tomar cachaça”. Poxa, claro que dei um trocado pra ele. Quase fui no bar tomar uma também, mas isso é uma outra história. Continuando…

– Mas você consegue isenção da anuidade?
– Como eu disse, senhor, o cartão oferece muitas vantagens… blá, blá, blá e é IMPOSSÍVEL isenta-lo dessa tarifa.
– Ah, entendi, impossível, entendo. Bom, não vou travar uma batalha contra o impossível, né? Veja o que você pode fazer pra me ajudar, por favor.

Aí a nega faz de conta que tá digitando quando na verdade está comendo um sanduba de atum e, com aquela super boa vontade (só que não), te dá um desconto de bosta e você fica feliz.

Mas eu iniciei um novo trabalho esse ano e agora a conversa é assim:

– Banco que o Luciano Huck faz Propaganda, Gumercinda, boa noite.
– Oi, boa noite, Gumercinda. Aqui quem está falando é o Rogério, sou o titular da conta, meu CPF, embora eu já tenha digitado e sei que você irá pedir, é o 123.456.789-00. O motivo do meu contato é que estou insatisfeito com o valor da anuidade e não gostaria de pagar por ela, mesmo você dizendo que tenho muitas vantagens em ter esse cartão, ainda insisto que não quero pagar valor de anuidade. Não quero desconto e sim isenção. Se você conseguir a isenção, parabéns! Caso contrário, por favor, pode cancelar este cartão por favor. Espero ter sido claro e, sim, eu aguardo um minuto.
– Er… um minuto senhor.
Minutos depois…
– Senhor Rogério, consegui aqui com a supervisão a isenção da anuidade. Gostaria de anotar o protocolo desse atendimento?

Sacaram a diferença? Acreditem, o lance funciona! Mas tenham em mente que o tiro pode sair pela culatra. Imagina se você fala isso e o atendente responde “ok, senhor, estamos cancelando o seu cartão”.

Aí azeda o molho, né não?

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

A hora da desforra

janeiro 21, 2011 em Caqui Utilidade

A gente vive recebendo telefonemas de operadores de telemarketing que passam o tempo enchendo o saco dos outros, oferecendo seus incríveis produtos e promoções. Só que quando precisamos do atendimento deles, a coisa vira uma desgraça. Só faltamos arrancar os cabelos, de tanta raiva. Vejam abaixo um exemplo de como tratar esse povo.

Sua ligação é muito importante para nós!

Toca o telefone…
– Alô.
– Alô, poderia falar com o responsável pela linha?
– Pois não, pode ser comigo mesmo.
– Quem fala, por favor?
– Edson.
– Sr. Edson, aqui é da OI, estamos ligando para oferecer a promoção OI linha adicional, onde o Sr. terá direito…
– Desculpe interromper, mas quem está falando?
– Aqui é Rosicleide Judite, da OI, e estamos ligando…
– Rosicleide, me desculpe, mas para nossa segurança, gostaria de conferir alguns dados antes de continuar a conversa, pode ser?
– Bem, pode…
– De que telefone você fala? Meu bina não identificou.
– 10331.
– Você trabalha em que área, na OI?
– Telemarketing Pro Ativo.
– Você tem número de matrícula na OI?
– Senhor, desculpe, mas não creio que essa informação seja necessária.
– Então terei que desligar, pois não tenho a segurança de estar falando com uma funcionária da OI. São normas de nossa casa.
– Mas posso garantir….
– Além do mais, sempre sou obrigado a fornecer meus dados a uma legião de atendentes sempre que tento falar com a OI.
– Pois não, senhor… minha matrícula é 34591212.
– Só um momento enquanto verifico.
(Dois minutos depois)
– Só mais um momento.
(Cinco minutos depois)
– Senhor?
– Só mais um momento, por favor, nossos sistemas estão lentos hoje.
– Mas senhor…
– Pronto, Rosicleide, obrigado por ter aguardado. Qual o assunto?
– Aqui é da OI, estamos ligando para oferecer uma promoção, onde o Sr. terá direito a uma linha adicional. O senhor está interessado, Sr. Edson?
– Rosicleide, vou estar transferindo sua ligação para a minha esposa, porque é ela que decide sobre alteração e aquisição de planos de telefones. Por favor, não desligue, pois sua ligação é muito importante para mim.
(coloco o telefone em frente ao aparelho de som, deixo a música Festa no Apê do Latino tocando no Repeat (quem disse que um dia essa droga não iria servir para alguma coisa?). Depois de tocar a porcaria toda da música umas duas vezes, minha mulher atende:
– Obrigado por ter aguardado…. pode me dizer seu telefone pois meu bina não identificou..
– 10331.
– Com quem estou falando, por favor.
– Rosicleide
– Rosicleide de quê?
– Rosicleide Judite (já demonstrando certa irritação na voz).
– Qual sua identificação na empresa?
– 34591212 (mais irritada agora!).
– Obrigada pelas suas informações, em que posso ajudá-la?
– Aqui é da OI, estamos ligando para oferecer a promoção, onde a Sra tem direito a uma linha adicional. A senhora está interessada?
– Vou estar abrindo um chamado e no prazo de 72 horas entraremos em contato para dar um parecer. Você pode anotar o protocolo por favor… alô, alô!
Tú, tu, tu, tu, tu, tú…
– Desligou…. nossa, mas que moça impaciente!
Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

Estatística #3

julho 18, 2010 em Imagem do Dia

Assina a TV a cabo, ou tenta cancelar o cartão de crédito, seu besta! É só o começo do inferno!

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print