Questão trabalhista

setembro 30, 2011 em Na Geral

Essa questão foi formulada na prova do 4º termo do curso de Adminstração da UNIESP de Presidente Prudente, no dia 29/09/2011, pelo professor de Direito Trabalhista, Humberto Filho:

E eu tenho culpa se ninguém quer comprar essa bosta?

Carlos contrata verbalmente um empregado (torcedor do curíntia) vulgo “Manezão Loco”, que havia acabado de sair da Penitenciária de Presidente Prudente, onde cumpriu pena por ter roubado um veículo BMW do senhor Paulo Henrique (torcedor do Parmera). Manezão Loco começou então a prestar serviços na barraca de Carlos instalada no “Camelódromo” (conhecido como “Shopping Popular”) de Presidente Prudente, vendendo camiseta do “Timão” (curíntia paulista) por R$ 1,99 e ainda CDs de Funk piratas por R$ 4,99. Durante 60 dias de prestação de serviços, Manezão Loco não conseguiu vender nenhuma camiseta, e assim Carlos resolveu demiti-lo. Com base em tais informações podemos afirmar que:

A – Manezão Loco não era empregado de Carlos, tendo em vista que tais produtos (camiseta do timão e CD pirata) são objetos ilícitos.

B – Manezão Loco deve ser considerado empregado, porque mesmo vendendo porcaria (camiseta do timão e CD pirata), preenche os 5 elementos ensejadores da relação de emprego, devendo seu contrato ser considerado por prazo determinado, uma vez que não atingiu 90 dias.

C – Manezão Loco deve ser considerado empregado, porque mesmo vendendo porcaria (camiseta do timão e CD pirata), preenche os 5 elementos ensejadores da relação de emprego, devendo seu contrato ser considerado por prazo indeterminado.

D – Manezão Loco não é empregado, sendo apenas mais um coitado que torce para um time que NUNCA foi CAMPEÃO DA LIBERTADORES, devendo ser considerado apenas um tonto.

E – N. D. A. (nenhuma das anteriores).

_____________________________ 

Colaboração da aluna Jéssica de Gois Silva, que cravou a alternativa “D”, sem medo de errar.

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

E não é que o cabeção acabou levando o dele?

setembro 22, 2011 em Notícias Comentadas

Não ficou bacana o clima para o apresentador e comentarista Neto, na Band. O ex-jogador andou dando entrevista ao canal Esporte Interativo (emissora UHF dedicada a esportes), e disse em um quadro (com um isqueiro sob a mão) que “não colocava a mão no fogo” por jornalistas como Milton Neves e Luciano do Valle, entre outros. A declaração irritou a direção da Band, farta de declarações deselegantes de seus contratados, na mídia –e muitas vezes uns contra os outros.

A emissora, como se diz nas ruas, chamou Neto “na chincha“. Humilde, o ex-jogador aceitou se retratar com o colega Neves.

Neto teve de se desculpar com Milton NevesBasta, han?!
Segundo Ooops! apurou, a irritação foi tamanha que foram dadas a Neto as opções de pedir desculpas ou pedir o boné. Ele sagazmente ficou com a primeira alternativa. A direção aproveitou o caso para alertar aos demais profissionais que é proibido criticar colegas de trabalho, sejam da Band ou outra emissora, nos programas da casa ou redes sociais. Se quiser falar mal de alguém no bar, na rua ou no estádio do Morumbi (que fica ali pertinho, aliás), tudo bem. Mas, criticar colegas no ar, tratem de tirar seus filhotes de mamíferos perissodátilos da precipitação pluviométrica (ou seja, seus cavalinhos da chuva). E já.

Outro lado
Procurada, a Band, por meio de sua assessoria, informou: “Obviamente, a emissora está atenta e trabalha para manter a harmonia, mas não houve nenhuma imposição ou ordem expressa ao Neto.”

Precedente 1
A Band está escaldada com picuinhas e a língua ferina de seus profissionais. Em 2008, Luciano do Valle, ao vivo, também detonou Neves e o próprio Neto, causando grande constrangimento.

Precedente 2
Cerca de duas semanas atrás foi a vez de Rafinha Bastos ter se desculpar com Daniela Albuquerque, da RedeTV!, depois de chamá-la de “cadela” numa brincadeira, durante o “CQC”.

Fonte: folha.uol.com.br

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

Precisa explicar mais?

outubro 27, 2010 em Imagem do Dia

O pessoal quer trabalhar, a camisa é que não ajuda!

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

A viagem

maio 25, 2010 em Piadas Infames

A mulher chega em casa e vê o marido preparando uma mala de viagem.

– O que está fazendo?

– Preparando uma mala.

– E para… ?

– Vou para a Austrália.

– Para quê?

– Porquê dizem que lá pagam 100 dólares por cada relação sexual.

A mulher se pôs a preparar uma mala também. No que o marido pergunta:

– E você? Tá fazendo o quê?

– Preparando uma mala.

– Para… ?

– Para ir para a Austrália.

– E… ?

– Para te ajudar. Porque não acredito que você vá conseguir viver só com 100 dólares por mês.

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

Classificados do Caqui

abril 27, 2010 em Caqui Utilidade

(In)Oportunidades de emprego

Sabendo que o trabalho enobrece o homem e, seguindo a linha dos posts anteriores, nós recebemos alguns anúncios de empregos que podem interessar a quem já está cansado de perambular por aí, sem rumo, em busca de dinheiro fácil recolocação profissional.



E por último, a vaga mais atraente de todas. Simplesmente o trabalho perfeito.


Este é o Caqui, mais uma vez prestando um serviço de inutilidade pública :D.

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

Entrevista de Emprego

abril 27, 2010 em Tirinhas

Na mesma linha do post anterior, pra aproveitar a pegada sobre emprego…

Mas isso não pode ficar assim, certo? Então vamos lá!

“Kibei” do Tirinhas do Zé.

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

Entrevistador x Candidato

abril 27, 2010 em Na Geral

Você que está a procura de uma nova oportunidade de trabalho ou você que é um universitário vagabundo à procura de um estágio, preste atenção a estas respostas perspicazes dadas por supostos candidatos a emprego. Ah, notem também nossos comentários clássicos.

Nem todo mundo tem esse potencial...

Entrevistador – Como você se definiria em termos de flexibilidade?
Candidato – Ah, eu faço academia. Sou capaz de encostar o cotovelo na nuca.

(eu consigo encostar o cotovelo direito na orelha esquerda mas isso nunca me garantiu uma vaga)

.

Entrevistador – Como você se sente trabalhando em equipe?
Candidato – Bom, desde que não tenha gente dando palpite, me sinto muito bem.

(e desque ele sempre tenha razão, também não há problemas)

.

Entrevistador – Manter sempre o foco é muito importante. E me parece que você tem alguns lapsos de concentração.
Candidato – O senhor poderia repetir a pergunta?

(só pra ter certeza, né?)

.

Entrevistador – Então, você está construindo um networking?
Candidato – Veja bem, eu não sou engenheiro, sou administrador.

(networking é coisa de analista de sistemas, pô)

.

Entrevistador – Nós somos uma empresa que nunca pára de perseguir objetivos.
Candidato – Que ótimo. E já conseguiram prender algum?

(rá)

.

Entrevistador – Vejo que você demonstra uma tendência para discordar.
Candidato – Muito pelo contrário.

(não concordo com nenhum dos dois)

.

Entrevistador – Em sua opinião, quais seriam os atributos de um bom líder?
Candidato – Ah, são várias coisas. Mas a principal é ter liderança.

(essa eu concordo em gênero, número e grau de miopia)

.

Entrevistador – Noto que você não mencionou a sua idade aqui no currículo.
Candidato – É que eu uso óculos, e isso me faz parecer mais velho.
Entrevistador – E qual é a sua idade?
Candidato – Com óculos ou sem óculos?

(candidato engraçadinho, não?)

.

Entrevistador – Quais seriam seus pontos fracos?
Candidato – Ah, é o joelho. Até tive de parar de jogar futebol.

(se eu fosse o entrevistador já dava um belo chute no joelho do cara, só pra constatar a veracidade)

.

Entrevistador – Por que, dentre tantos candidatos, nós deveríamos contratá-lo?
Candidato – Eu pensei que responder a isto fosse seu trabalho.

(essa, tenho que concordar com o candidato, ha ha ha)

.

Entrevistador – Como você pode contribuir para melhorar nosso ambiente de trabalho?
Candidato – Bem, eu começaria trocando a recepcionista, que é muito feia.

(na boa, recepcionista feia é o “ó”, niguém merece)

.

Entrevistador – Várias pessoas que se sentaram aí nessa mesma cadeira hoje são gerentes.
Candidato – Puxa, o fabricante da cadeira vai ficar muito feliz em saber disso.

(putz! pensei que fosse uma cadeira mágica)

.

Entrevistador – Quando digo ‘Sucesso’, qual a primeira palavra que lhe vem à mente?
Candidato – Pode ser duas palavras?
Entrevistador – Pode.
Candidato – Milho. Nário.

(pelo menos ele não disso “TE AMO”, como já aconteceu no passado com um colega)

Dica do amigo Diego Pereira.

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

Como pedir demissão com estilo

abril 26, 2010 em Vídeos Youtúbicos

Prestem atenção no tigre atacado do lado esquerdo. O final é supimpa!

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print

Coé?

abril 16, 2010 em Diário da Patty

Fui convidada a participar de um processo seletivo de uma empresa bacana e hoje compareci lá. A entrevista foi super tranqüila mas… foi aplicado um bendito teste. Não era difícil. Com o auxílio de uma calculadora básica dava para resolver tudo rapidinho e sem estresse.

Me foi fornecido uma calculadora (simples, bonitinha mas tããão ordinária) que não operava o raio da divisão. Me fez perder um baita tempo, além do fato de eu ter que fazer as continhas literalmente na unha, como nos áureos tempos da escola (saudosa tabuada, fórmula de báskara…). A coisa foi tão surreal que não pude deixar de pensar:  coé? a zica calculator faz parte do teste? Só pode ser!

Operação matemática na unha e sem tempo nem Jack Bauer encara

Depois desse perrengue, ainda teve a parte Fuvest da coisa. Ah se tivesse um teste desse pra ser presidente deste país. Aí depois disso, o sapato escalpelou meu pé, a roda do ônibus na volta quase se desprendeu da suspensão… e muitos outros infortúnios mais. Enfim, dando certo ou não esse processo, só sei de duas coisas: essa vai pra minha biografia e melhor não sair de casa mais por hoje.

E você, brasileiro(a) em busca de recolocação profissional,  que teve que se submeter para conseguir um emprego? Teste do sofá? Banheira do Gugu? Soletrando? Comer olhos de cabra? Se vestir de esponja e se esfregar na parede?

Bjs.

Compartilhe essa bagaça:
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn
  • Tumblr
  • MySpace
  • Google Bookmarks
  • Print